Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > UFSB Ciência > Estudo sobre situação físico-química do rio Pancadinha vai subsidiar prefeitura de Almadina
Início do conteúdo da página

Estudo sobre situação físico-química do rio Pancadinha vai subsidiar prefeitura de Almadina

Escrito por Heleno Rocha Nazário | Publicado: Sexta, 25 de Junho de 2021, 11h04 | Última atualização em Sexta, 25 de Junho de 2021, 11h35 | Acessos: 300
pesquisa agua 01A contaminação de cursos d'água e de lencóis freáticos pelo lixo produzido pelo ser humano é um problema sério, pelas doenças que pode gerar e pelo gasto de recursos públicos no tratamento da água. Uma pesquisa em andamento aborda o caso do rio Pancadinha, na cidade de Almadina, que tem um lixão nas imediações. O estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências da Universidade Federal do Sul da Bahia, Daniel Ramos dos Santos, orientado pela professora Rita de Cáscia Avelino Suassuna, vai realizar diversas análises físico-químicas da água do rio Pancadinha para identificar possíveis alterações na qualidade, tendo em vista o contato com o chorume gerado pelo depósito de lixo. O estudo tem fomento pela iGUi Ecologia e emprega os equipamentos do laboratório multidisciplinar do Centro de Formação em Tecno-Ciências e Inovação (CFTCI).
O objetivo do projeto é avaliar a qualidade físico-química da água do rio Pancadinha, na cidade de Almadina, no trecho entre o Assentamento Pancadinha (localizado antes do lixão) e um ponto localizado a jusante (rio abaixo) do perímetro urbano da cidade de Almadina, após o lixão, para avaliar os impactos ambientais provocados na água do rio pelo chorume. 
 
Analisar a sanidade e a contaminação de fontes de água potável é importante porque o estoque de água doce é limitado na natureza, e as alternativas para obtenção de água de outras fontes, como os reservatórios subterrâneos e a água do mar, apresentam custos elevados. Um dos contaminantes de águas superficiais e subterrâneas é o chorume, líquido escuro e de cheiro desagradável que resulta da decomposição do lixo orgânico e que concentra sólidos suspensos e metais pesados que derivam da degradação de substâncias metabolizadas, como carboidratos, proteínas e gorduras. Conforme o relatório parcial da pesquisa referente ao período de coletas de janeiro a março deste ano, a composição do chorume varia bastante em função das condições pluviométricas locais, do tempo de disposição dos resíduos sólidos no solo e das características desses resíduos. O chorume pode contaminar águas superficiais e subterrâneas próximas ao local de sua formação por conter substâncias altamente solúveis. A contaminação compromete a qualidade e utilização dessas águas, especialmente para consumo humano.
pesquisa agua 06A professora Rita de Cáscia conta que a pesquisa iniciou em janeiro de 2021, com o primeiro relatório trimestral já enviado. "O discente já foi fazer o levantamento de campo (determinação de parâmetros físico-químico da água) duas vezes e irá novamente dentro em breve (é realizado uma vez por mês)", detalha. O projeto concorreu em uma seleção para obter o fomento para custear a bolsa, no valor mensal de R$ 500,00 pelo período de um ano. O trabalho vai gerar relatórios parciais e um final sobre a qualidade da água e avaliação dos impactos do lixão na salubridade do rio Pancadinha. Os resultados serão compartilhados com a prefeitura municipal de Almadina.
A estimativa é de conclusão dos trabalhos e entrega dos resultados à prefeitura de Almadina em janeiro de 2022. As primeiras informações podem chegar ao poder público antes desse prazo. "Estamos vendo um congresso para publicar os dados e depois poderemos repassar à prefeitura, ainda que parcialmente", diz a pesquisadora. Com os dados que serão informados no estudo, a prefeitura de Almadina terá um subsídio para planejar e implantar medidas de controle ambiental e de rede de esgoto, dentre outras que sejam viáveis.
 
 
 
 
 
 
registrado em:
Fim do conteúdo da página