Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Eventos > [ENQUETE] - Mudança do nome do Parque Nacional do Descobrimento
Início do conteúdo da página

[ENQUETE] - Mudança do nome do Parque Nacional do Descobrimento

Publicado: Terça, 21 de Novembro de 2023, 11h00 | Última atualização em Terça, 21 de Novembro de 2023, 11h03 | Acessos: 1116

O QUE: Enquete sobre mudança do nome do Parque Nacional do Descobrimento

ONDE: No link https://docs.google.com/forms/d/1D2k6kzBG8KJJXzPLYjtn9yjYZ-DotMAKsf5WgQFuUHc/viewform?edit_requested=true

QUANDO: até as 23h59min do dia 22 de novembro de 2023

 

enquete 1O que a sociedade brasileira pensa sobre o nome do Parque Nacional do Descobrimento?

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio está realizando uma ação de escuta social para identificar o que a sociedade pensa sobre o nome do Parque Nacional do Descobrimento (PND).

Criado em 1999 como uma das ações do Governo Federal para celebrar os 500 anos da chegada dos portugueses ao Brasil, o parque teve seu nome escolhido sem ouvir a sociedade. Para comunidades indígenas e movimentos sociais da região, o nome reflete apenas o olhar do povo europeu sobre a realidade histórica de 1500; para os povos originários brasileiros, não houve nenhum novo território descoberto.

Para planejar e executar este projeto, um grupo de trabalho formado por conselheiros do PND e consultores externos, como o Prof. Álamo Pimentel da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) e o Prof. Guilherme Fagundes, da Universidade de São Paulo (USP).

Já foram realizadas quatro reuniões presenciais, sendo duas na sede do município de Prado/BA, uma no Distrito de Cumuruxatiba e outra no Distrito do Guarani, com a presença de mais de 200 participantes. Desde 30 de outubro foi lançada uma enquete online para que toda a sociedade possa manifestar sua opinião sobre a possibilidade de mudança do nome do parque, indicando, inclusive, um futuro nome caso considere a alteração pertinente. A enquete ficará disponível até as 23 horas e 59 minutos do dia 22 de novembro.

Juliana Fukuda, chefe do Parque Nacional do Descobrimento, comenta sobre a denominação das unidades de conservação: “Quando uma área protegida está em processo de ser criada, ela receber nomes de características significativas do lugar. Por exemplo, o primeiro parque nacional criado no Brasil é o de Itatiaia (RJ/MG), devido à formação de rochas da região. Aqui na Bahia, podemos citar os parques da Chapada Diamantina e o de Abrolhos, que remetem às formações principais dessas áreas. Há também as unidades que são denominadas por conta de plantas ou animais importantes desses locais, como a Floresta Nacional do Pau-Rosa (AM) e a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (SC). “Descobrimento” não traz informação alguma sobre a importância ecológica desse parque”.

Todo este processo de consulta pública é uma ação educativa, onde a sociedade é convidada a pensar sobre um tema proposto, no caso, o nome “Descobrimento”. Ao problematizar o nome, estimula-se o questionamento sobre o que ele representa, a história colonial que carrega, o modelo de ocupação territorial e de exploração da natureza na região do parque. E proporcionar ações educativas é um dos objetivos de criação da unidade de conservação.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página