Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Projetos
Início do conteúdo da página

Projetos de Pesquisa

Publicado: Sexta, 09 de Novembro de 2018, 13h02 | Última atualização em Terça, 21 de Dezembro de 2021, 13h14 | Acessos: 1536

Desenvolvemos e atuamos em projetos de pesquisa associados aos demais laboratórios institcuionais da UFSB, além de parcerias com órgãos ambientais, empresas e sociedade civil. Os projetos visam o diagnóstico, compreensão e desenvolvimento de técnicas e métodos para a conservação dos recursos naturais costeiros utilizando geotecnologias. As atividades são organizadas com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação e profissionais externos. Os projetos executados por esse laboratório são:

 

Nome: Programa de monitoramento da biodiversidade aquática: estudo e monitoramento da ictiofauna marinha e estuarina.

Período de realização: 2017- 2020.

Linha de Pesquisa: Monitoramento Ambiental.

Descrição: Este projeto descreve o monitoramento dos efeitos da lama de rejeitos sobre diversos aspectos da ictiofauna e carcinofauna das regiões dulcícola, estuarina e costeira, adjacente à foz (incluindo áreas recifais). Além da morte causada diretamente pelo impacto da lama dos rejeitos de minério (asfixia, soterramento), vários são os efeitos esperados sobre a ictiofauna e carcinofauna, destacando-se: diminuição da abundância e biomassa das espécies, dominância de espécies resilientes na comunidade, inanição, alterações nos ciclos reprodutivos (época/local de desova), alterações no crescimento e recrutamento, substituição de espécies (aparecimento/desaparecimento), mudanças de hábitos alimentares (aparecimento/desparecimento de itens, diminuição de número de itens ingeridos, quantidade de alimento ingerida), piora da saúde (acúmulo de metais pelas espécies), etc. Estes efeitos diminuem ao longo do tempo e do espaço, conforme afasta-se do início e do epicentro do desastre. esta forma, pretende-se monitorar a ictiofauna e carcinofauna, abordando espacial e temporalmente, três principais aspectos: populações, comunidades, e relação das espécies com o hábitat. As populações deverão ser monitoradas ao longo do tempo quanto à ocorrência, abundância, biomassa e tamanho dos indivíduos. everão ser analisadas ainda a alimentação e ecologia trófica (origem do alimento, fontes de carbono, posição no nível trófico), reprodução e recrutamento. As comunidades deverão ser monitoradas quanto à riqueza, dominância e diversidade. Para se monitorar a relação das espécies com o hábitat, deverão ser monitoradas a utilização dos hábitats avaliados pelas espécies se lecionadas (telemetria e microquímica de otólitos), o fluxo de larvas/recrutas e adultos/juvenis de peixes entre o estuário e ambientes recifais adjacentes e os índices de integridade.

Equipe: Fabiana Cézar Félix Hackradt - Integrante / Carlos Werner Hackradt - Integrante / Helen Audrey Pichler - Integrante / Mauricio Hostim-Silva - Coordenador / Ciro Colodetti Vilar - Integrante / Joelson Musiello Fernandes - Integrante / Igor Emiliano Gomes Pinheiro - Integrante / juliana Beltramin e Biasi - Integrante / Aline Meira Bonfim Mantellatto - Integrante / Josde de Anchieta Cintra da Costa Nunes - Integrante.

Categoria: Projeto Interinstitucional com a Universidade Federal do Espírito Santo e CEUNES.

Instituição de origem do projeto: Universidade Federal do Espírito Santo.

Valor do Financiamento: R$ 2.000.000,00.

 

Nome: Avaliação dos impactos das manchas de óleo na Costa do Descobrimento.

Período de realização: 2020- atual.

Linha de Pesquisa:  Monitoramento Ambiental.

Descrição: Frente a todas as incertezas que permeiam o maior desastre ambiental em extensão já registrado na costa brasileira e dada a importância dos ecossistemas da Costa do Descobrimento, o objetivo principal desta proposta é integrar diferentes áreas de conhecimento a fim de implementar um plano de avaliação ambiental de 10 meses em três municípios da Costa do Descobrimento (Belmonte, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro). Os objetivos específicos desta proposta são: I. Avaliar as flutuações na abundância de organismos planctônicos; II. Avaliar a presença de petróleo na comunidade pelágica; III. Avaliar a sensibilidade de microcrustáceos planctônicos ao petróleo; IV. Avaliar a abundância e estrutura das assembleias de peixes recifais; V. Avaliar a cobertura bentônica do fundo de ambientes recifais; VI. Avaliar a composição e abundância de peixes em zonas rasas marinhas e estuarinas; VII. Avaliar a incorporação de óleo na teia trófica de zonas rasas a partir do conteúdo gastrointestinal de peixes; VIII. Estimar a deriva costeira e a correlacionar com o vento local e os modelos globais; IX. Avaliar a presença de hidrocarbonetos do petróleo no sedimento e em tecidos de organismos filtradores; X. Caracterizar os óleos encontrados nas praias de Porto Seguro; XI. Avaliar a vulnerabilidade dos ambientes praiais ao óleo; XII. Georreferenciar as ações de monitoramento.

Equipe: Igor Emiliano Gomes Pinheiro (coordenador), Ângelo Teixeira Lemos, Carlos Werner Hackradt, Catarina da Rocha Marcolin,  Juliana Pereira de Quadros, Leonardo Evangelista Moraes, Nadson Ressye Simões Da Silva e Silvio Tarou Sasaki.

Instituição de origem do projeto: Universidade Federal do Sul da Bahia.

Valor do Financiamento: R$ 10000,00.

 

Nome: Informação de base ecossistêmica para gestão costeira

Período de realização: 2020- atual.

Linha de Pesquisa:  Gerenciamento costeiro e Geoprocessamento.

Descrição:

A zona costeira de Porto Seguro abriga um mosaico de ecossistemas de alta relevância ambiental, destacando-se manguezais, restingas, praias, estuários, recifes de corais e outros ambientes importantes do ponto de vista ecológico, econômico e social. Ao mesmo tempo em que estes ecossistemas costeiros representam uma importante força propulsora do desenvolvimento do município, grande parte destes encontra-se fortemente pressionado pelo crescimento contínuo das atividades turísticas, imobiliárias e de outras formas de uso da terra. Tal fato, decorre da ineficiência de planos de gestão em considerar as interações entre os processos socioeconômicos e ecossistêmicos. Um princípio fundamental e amplamente reconhecido para o sucesso de ações de manejo em zonas costeiras é a Gestão Baseada em Ecossistemas (GBE). A necessidade inicial da GBE passa pela delimitação de fronteiras entre os ecossistemas e considerações a respeito da conexão entre eles. Outro ponto primordial é a identificação dos processos associados aos Serviços Ecossistêmicos (SEs) (i.e. bens tangíveis e intangíveis produzidos pelos ecossistemas, utilizados pela sociedade em busca do bem estar social) de cada ambiente. Neste contexto, a presente projeto visa trazer subsídios para a gestão costeira integrada no município de Porto Seguro, com base em uma perspectiva ecossistêmica. O objetivo principal é mapear os ecossistemas do município de Porto Seguro, assim como os do setor marinho adjacente e relacioná-los aos SEs oriundos desses ambientes. Para a elaboração das bases ecossistêmicas serão abordadas três etapas principais, são elas: a) inventário e mapeamento dos ecossistemas; b) elaboração da matriz de SEs; e c) definição dos SEs básicos para o bem-estar humano. A partir da implementação deste projeto será gerada uma base de dados que estabelecerá relações espaciais entre os ecossistemas e seus serviços, permitindo a realização de consultas quantitativas e qualitativas sobre a zona costeira de Porto Seguro. Assim, tal sistema de informação permitirá analisar o ambiente, considerando de maneira integrada os aspectos ecológicos e econômicos.

Equipe: Igor Pinheiro, Jamile Franca e Bruno Brauer.

Instituição de origem do projeto: Universidade Federal do Sul da Bahia.

Valor do Financiamento: Financiamento de Bolsa - Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento - CNPq.

 

Nome: Pandemia do COVID-19: oportunidade para avaliar a influência da atividade turística no Parque Natural Municipal do Recife de Fora.
 
Período de realização: 2020- atual.

Linha de Pesquisa:  Ecologia marinha e gerenciamento costeiro.

Descrição: 

Dentre os inúmeros ecossistemas da Costa do Descobrimento, destaca-se o Parque Natural Municipal Marinho do Recife de Fora (PNMMRF), uma das principais atrações turísticas do município de Porto Seguro. Os recifes, como os encontrados no PNMMRF, estão entre os ecossistemas marinhos mais importantes, tanto do ponto de vista ecológico, quanto para uso humano. Além da alta diversidade, os ambientes recifais do PNMMRF são fundamentais para a manutenção da biodiversidade marinha, uma vez que são estruturadores do ambiente e prestam relevantes serviços ambientais à sociedade como, por exemplo, a manutenção da pesca e toda cadeia econômica do turismo que se desenvolve associada a este sistema recifal. A presente proposta de trabalho visa avaliar a ictiofauna e a cobertura de corais na piscina de visitação do PNMMRF, utilizando o mergulho em apneia como ferramenta de pesquisa. O principal fator a ser relacionado aos dados coletados é período de pandemia do COVID-19 pela qual o mundo está passando. Em diferentes regiões do globo, cientistas vêm aproveitando esta situação de ausência de usos humanos em diferentes sistemas ambientais para avaliar a resiliência destes sistemas. É neste contexto que esta proposta se insere e busca avaliar a comunidade recifal do PNMMRF no período de pandemia em que o parque esteve fechado a visitação (1º Etapa) e no período atual onde o parque está recebendo turistas (2º Etapa).

Equipe: Igor Emiliano Gomes Pinheiro, Carlos Lacerda.
 
Instituição de origem do projeto: Universidade Federal do Sul da Bahia.
 
 

Nome: Processos, Dinâmica e desenvolvimento ambiental do Sul da Bahia 

Período de realização: 2018 - atual.

Área de concentração: Ciências e Tecnologias AMbientais  

Descrição: O Sul da Bahia apresenta multifatores ecológicos, sociais, econômicos e culturais que convergem para uma complexidade ambiental de larga escala. Contexto de gestão ineficiente em diferentes setores, coopera para que os recursos naturais sejam densamente afetados e a população tenha uma reduzida qualidade de vida. Além disso, o Estado da Bahia lidera o ranking de desmatamento da Mata Atlântica no Brasil,em 2018 e 2019, evidenciando a redução de áreas naturais e dos serviços ecossistêmicos. O projeto objetiva identificar os processos ambientais que ocorrem no Sul da Bahia, dinâmica espacial de uso da terra e fragmentação da Mata Atlântica e  condições ambientais de saneamento básico e gestão de conflitos na mesorregião Sul da Bahia. Esse projeto possui o desenvolvimento de diversas frentes e subprojetos, sendo eles:

 

Sub-projeto: Fragmentação e conectividade da Mata Atlântica baseada em mudanças de uso da terra na Mesorregião Sul da Bahia.

Período de realização: 2020-atual

Equipe: Elfany Reis Lopes e Escarlett Arruda.

Financiamento: Financiamento de Bolsa - UFSB

 

Sub-projeto: A RESEX Baía do Iguape como prestadora de serviços ecossistêmicos no sequestro de carbono: mapeamento áreas com grandes depósitos de carbono. 

Período de realização: 2020-2021

Linha de Pesquisa:  Gerenciamento costeiro e Geoprocessamento

Financiamento: Financiamento de Bolsa - Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (FAPESB)

Equipe: Elfany Reis, Alessandra Caiafa e Joaquim Ornellas.

 

Sub-projeto: Arranjos intermunicipais para o consórcio público na gestão de resíduos sólidos no território da Costa do Descobrimento.

Período de realização: 2020-2021

Linha de Pesquisa:  Resíduos Sólidos e Geoprocessamento.

Equipe: Elfany Reis do Nascimento Lopes e Marconi Vieira da Silva.
 
 
Sub-projeto: Degradação ambiental e suas relações com doenças emergentes e infecciosas
 
Período de realização: 2020- 2021

Linha de Pesquisa:  Saúde e Geoprocessamento.

Equipe: Elfany Reis do Nascimento Lopes, Felipe Micali Nuvoloni  e GionCarlos Silva Moreno.
 
 
Sub-projeto: Avaliação ambiental e proposição de um banco de dados espaciais para a gestão do Parque Nacional do Alto Cariri, Guaratinga - Bahia
 
Período de realização: 2019-2020

Linha de Pesquisa:  Monitoramento ambiental e Geoprocessamento.

Equipe: Elfany Reis do Nascimento Lopes e Vinícius Jorge.
 
 
Sub-projeto: Morfodinâmica praial e evolução da linha de costa da região de Porto Seguro e adjacências
 
Período de realização: 2018 - atual

Linha de Pesquisa:  Monitoramento ambiental, Oceanografia física e Geoprocessamento.

Equipe: Elfany Reis do Nascimento Lopes, Juliana Quadros, Tatiana Dadalto e Igor Pinheiro.
 
 
Sub-projeto: Zoneamento agroclimático no cultivo de quatro espécies de Eucalipto para o Extremo Sul e Costa do Descobrimento do Estado da Bahia, Brasil
 
Período de realização: 2018 - 2020

Linha de Pesquisa:  Monitoramento ambiental e Geoprocessamento.

Equipe: Elfany Reis do Nascimento Lopes, Fabricio Berton e Francis Paola.

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página